Comunistas.infoComunistas.infoComunistas.info
QUEM SOMOS
ACTUALIDADE
-
10 DE OUTUBRO DE 2015, SÁBADO
FONTE: Renovação Comunista
Conselho Nacional da Renovação Comunista toma posição!
Por Um Compromisso Urgente das Esquerdas! Por um Governo novo!
O Conselho Nacional da Renovação Comunista debateu o actual momento político e emitiu a posição que se segue sobre a formação do novo governo. Procedeu ao balanço dos resultados eleitorais, avaliou a má prestação da candidatura cidadã LIVRE/TdA e iniciou uma discussão sobre ações futuras no novo quadro em desenvolvimento à esquerda.
A voz do povo falou!

A Coligação de Direita e a sua política austeritária perderam, de facto, a legitimidade para governar! Quem não tem a maioria dos deputados só pode formar governo se tiver o consentimento maioritário no parlamento! É esse o cerne da democracia: a regra da maioria! O próprio Presidente da República, ainda que exorbitando sobre a Constituição, acabou por colocar o problema da necessidade de uma maioria “estável”. Porventura para com isso forçar o PS a ligar-se à direita. Porém, na verdade, quem se mostra em condições de formar um governo, estável e com apoio maioritário, é o centro-esquerda e a esquerda. Então, daqui em diante, não poderá o Presidente desmentir as suas anteriores teses sobre estabilidade e necessidade de compromisso, obstaculizando à formação do único governo em condições de obter apoio maioritário.

O país, como a representação parlamentar demonstra, deseja que o Partido Socialista promova um compromisso mínimo, que a concretizar-se terá um alcance histórico, para a formação de um governo novo com base na convergência entre o centro-esquerda e a esquerda.

Os portugueses olham com esperança para a possibilidade de um entendimento alargado que reponha a marcha do país para o progresso! Foi para isso que derrotaram nas urnas a coligação de direita!

O Conselho Nacional da Renovação Comunista reunido a 10 de Outubro de 2015 saúda a disponibilidade negocial do Partido Socialista, BE e PCP e deseja que sejam superadas décadas de bloqueio no diálogo à esquerda e se responda à urgência de afastar a direita do governo, sem tacticismo ou insinceridade.

Para a Renovação Comunista, o novo clima de disponibilidade negocial representa um momento de largo alcance pelo qual a Renovação Comunista se bate há longos anos, desde a sua fundação, e enche de entusiasmo milhões de democratas.

A Renovação Comunista não pode deixar de valorizar e saudar a conduta positiva do PCP neste processo e espera que continue a contribuir para a consolidação dos sinais de esperança ainda incertos.

Com o início do diálogo à esquerda, abriu-se uma brecha na parede de betão do chamado “arco da governabilidade” segundo o qual as forças parlamentares de esquerda estariam proibidas de negociar compromissos de governo. Mesmo que um compromisso pudesse não ser no imediato encontrado, entre o PS e as forças à sua esquerda, o diálogo encetado fez perceber ao país, instantaneamente, que a mudança real só frutificará no diálogo entre o centro-esquerda e a esquerda. Ninguém, a partir de agora, pode ignorar que este é o caminho necessário para a mudança. E que esse caminho, seguramente atribulado, cheio de riscos e de perigos de insucesso, está a dar os primeiros passos, agora.

Um governo com apoio maioritário do centro-esquerda e da esquerda poderá responder à urgência de parar com a orientação austeritária, dinamizar a economia, atender à urgência social, requalificar os serviços públicos, colectivos, e contribuir para a mudança de correlação de forças na União Europeia. Se um compromisso abrangente e consistente for encontrado, desejavelmente para um horizonte temporal alargado, então, a esperança num país novo começará a ser construída!

O Conselho Nacional da Renovação Comunista


 

O seu comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório

Digite em baixo os caracteres desta imagem

Se tiver dificuldade em enviar o seu comentário, ou se preferir, pode enviar para o e-mail newsletter@comunistas.info.